Autocuidado e Resiliência

Body Shaming

Vemos constantemente “corpos perfeitos” e bem vestidos na televisão, nas revistas ou nas redes sociais. De várias formas, recebemos a mensagem de que nos devemos esforçar por ter o “corpo perfeito” e encontrar formas de esconder os nossos “defeitos”.

Sentir vergonha do nosso corpo tornou-se cada vez mais frequente e, muitas vezes, a preocupação com a aparência física ultrapassa a preocupação com a Saúde (física e psicológica).  

O QUE É?

É uma agressão que envolve criticar ou humilhar alguém através de comentários negativos e depreciativos acerca do corpo ou aparência física (tamanho, forma, características ou forma de vestir).

Pode acontecer presencialmente ou online. Podemos criticar outra pessoa ou nós próprios/as.

Afecta homens e mulheres, de todos os tamanhos e formas corporais. Pode ser feito por mães, pais, irmãos, colegas de escola ou de trabalho, amigos ou desconhecidos.

EXEMPLOS

COMO NOS PODE FAZER SENTIR?

  • Envergonhados e inferiorizados.
  • Magoados, constrangidos e desconfortáveis.
  • Com sentimentos negativos quanto à nossa imagem corporal.

ATENÇÃO!

O Body Shaming pode ter consequências graves para a Saúde Psicológica (ex. baixa auto-estima; preocupação excessiva com partes específicas do nosso corpo; ansiedade; depressão; isolamento social; maior risco de desenvolver comportamentos alimentares disfuncionais e outras consequências negativas na Saúde Física).

IMPORTANTE

Ninguém merece ouvir comentários negativos sobre a sua aparência. Fazer Body Shaming não é aceitável – em público, em privado, por mensagem ou nas redes sociais. Mesmo quando familiares ou amigos nos dizem que é feito, de “forma bem-intencionada”, por familiares e amigos.

Apesar de não ser nossa intenção, podemos magoar alguém quando fazemos comentários sobre o seu corpo. O Body Shaming perpetua a ideia de que devemos ser julgados pelas nossas características físicas.

O QUE FAZER?

  • Aceite o seu corpo. Existem diversos tipos e formas de corpo saudáveis. Todos eles com imperfeições.
  • Aprecie o seu corpo. Passamos muito tempo a criticar a nossa aparência e menos tempo a dar valor às capacidades do nosso corpo (ex. o meu corpo é forte e permite-me dar colo ao meu bebé e correr rápido).
  • Questione os ideais de beleza por detrás da sua relação com o corpo e evite comparações com outras pessoas. Cada corpo é único e vai transformando-se ao longo do tempo.
  • #FalarAjuda. Falar com alguém em quem confiamos sobre como nos sentimos pode ajudar-nos a sentir compreendidos e aliviados.
  • Repare nas pessoas e nas contas que segue nas suas redes sociais. Pense sobre como se sente relativamente ao seu corpo quando vê essas contas. Considere deixar de segui-las se se sentir de forma negativa face ao seu corpo ou aparência ou se der por si a comparar-se, de forma desfavorável, com outras pessoas.
  • Invista no seu autocuidado. Cuide do seu bem-estar e da sua Saúde Psicológica; escolha alimentos saudáveis e faça exercício físico regularmente.
  • Evite criticar a sua aparência ou a aparência de outras pessoas. Considere o impacto que os seus comentários podem ter noutra pessoa.

LEMBRE-SE!

Somos todos diferentes e todos temos direito a ser respeitados. O corpo é só mais uma das diferenças que nos distingue uns dos outros.

A auto-estima começa nos nossos pensamentos e sentimentos, não no espelho. Tem a ver com a forma como nos valorizamos a nós próprios, enquanto pessoas, não apenas com o nosso corpo.

SAIBA MAIS

Linha de Aconselhamento Psicológico SNS24 (808 24 24 24).

Ouça o episódio “A Autoestima e o Body Shaming nas Redes Sociais” do Podcast da Ordem dos Psicólogos Portugueses “Isto é Psicologia“, com Mésicles Helin Berenguel procura respostas numa conversa com Sofia Marques Ramalho, Psicóloga e Mafalda Melo Sampaio, Influenciadora Digital.