Estigma

Embora os problemas de Saúde Psicológica sejam muito comuns, afectando 1 em cada 5 portugueses, ainda existe estigma e discriminação das pessoas que sofrem com eles. Cerca de 9 em cada 10 pessoas com problemas de Saúde Psicológica afirmam que o estigma tem um impacto negativo nas suas vidas.

O estigma da doença mental pode fazer as pessoas que têm um problema de saúde mental sentirem-se envergonhadas, culpadas, sem esperança e ansiosas. Pode fazer com que a pessoa queira esconder os sintomas do seu problema e isolar-se dos outros, sentindo-se excluído e só.

Muitas vezes o estigma piora a doença e leva a que a pessoa não procure ajuda.

No entanto, procurar a ajuda de um/a Psicólogo/a ou receber um diagnóstico também pode ser causa de estigma. Podemos ouvir comentar que ‘somos malucos’. Podem evitar-nos por terem medo de que sejamos perigosos ou instáveis. Independentemente dos outros papéis que desempenhamos – pai ou mãe, estudantes, profissionais – esse diagnóstico pode parecer que passa a definir “quem somos”.

O estigma face aos problemas de Saúde Psicológica ocorre quando alguém nos passa a ver de uma forma negativa e injusta devido às dificuldades de Saúde Psicológica. Esta pressão pode vir de familiares, amigos, colegas de trabalho ou, num nível mais lato, da própria sociedade. Em vez de nos reconhecerem como pessoas na sua totalidade, podem rotular-nos e definir-nos exclusivamente com base nos nossos problemas de Saúde Psicológica. Devido ao estigma, podemos passar a olhar para nós próprios de uma forma mais negativa, sentindo vergonha, desvalorização e uma baixa auto-estima por causa dos nossos problemas de Saúde Psicológica.

Contudo, um diagnóstico de perturbação mental não tem de moldar toda a nossa vida e pode ser uma parte menor da nossa identidade e da nossa história. Existem tratamentos eficazes para as perturbações mentais. As pessoas com um problema de saúde mental podem e recuperam desse problema.

O que podemos fazer para lidar com o estigma de viver com um problema de saúde psicológica?

  • Procurar ajuda. O medo do estigma e da discriminação pode fazer-nos evitar procurar ajuda. Um/a Psicólogo/a pode ajudar a recuperar dos nossos problemas.
  • Não acreditar no estigma. Por vezes, quando ouvimos ou experienciamos comportamentos estigmatizantes, passamos a acreditar neles. Não deixe que o estigma, preconceito e falta de conhecimento das outras pessoas ditar a pessoa que é ou aquilo que deve ou não sentir. Os problemas de Saúde Psicológica não surgem por sua culpa e não são um sinal de fraqueza. Lembre-se: É natural precisar de ajudar para lidar com estes problemas.
  • Contrariar a vontade de isolamento. Quando temos um problema de Saúde Psicológica sentimos vontade de nos isolar e de nos esconder do resto do mundo. É importante que procuremos as pessoas em que mais confiamos para falar da nossa situação. Não se esqueça: falar ajuda.
  • Recordar que os nossos problemas não nos definem. Somos muito mais do que um problema de Saúde Psicológica. A forma como utilizamos a linguagem tem influência sobre a nossa Saúde Psicológica. Nós não somos ‘o esquizofrénico’ ou ‘a deprimida’. Nós podemos ser pessoas a viver com esquizofrenia ou com depressão, mas também somos pessoas com outras competências, motivações e empregos.
  • Falar abertamente sobre os problemas de Saúde Psicológica e encorajar outros a fazer o mesmo. Podemos falar abertamente sobre as nossas dificuldades de Saúde Psicológica, sobre recebermos ajuda de um/a Psicólogo/a e podemos ainda mostrar empatia e incentivar outras pessoas a partilhar as suas experiências com problemas de Saúde Psicológica.

O que podemos fazer para ajudar alguém com um problema de saúde mental?

Se um amigo nos falasse sobre um problema de saúde física o mais provável era que lhe mostrássemos preocupação e empatia, oferecêssemos apoio e ajuda, e lhe disséssemos que confiávamos que melhoraria com o tratamento adequado. Comportarmo-nos exactamente da mesma forma se alguém nos disser que tem um problema de saúde mental pode ser uma grande ajuda. Não devemos fugir do assunto só porque nos faz sentir constrangidos, mas fazer perguntas, partilhar ideias e perguntar em que podemos ajudar, lembrando que a perturbação mental pode ser tratada.

As atitudes positivas e a esperança dos familiares, dos amigos, dos empregadores e de todos os membros da sociedade face a uma pessoa com um problema de saúde mental são fundamentais para apoiar a recuperação dessa pessoa e assegurar a sua qualidade de vida.

Se tem um problema de Saúde Psicológica ou conhece alguém com um problema de Saúde Psicológica, fale sobre isso abertamente e PARTILHE COM UM AMIGO. Se tem um problema de Saúde Psicológica ou conhece alguém com um problema de Saúde Psicológica, PROCURE AJUDA.

Outros recursos:
Serviço de Aconselhamento Psicológico – Linha SNS24 – 808 24 24 24
Eu Sinto.me – Procurar Ajuda

OLÁ,
EU SOU A ANA.
POSSO AJUDAR-TE?

Sou uma assistente virtual e posso
indicar-te informação e recursos úteis

OLÁ,
EU SOU A ANA,
POSSO AJUDAR-TE? FALA COMIGO