Paranóia

Todos nós ficamos desconfiados e temos pensamentos irracionais de vez em quando. Todos nós já pensámos que alguém estava a olhar para nós ou a falar mal de nós pelas costas. Podemos ter medo que alguma coisa má aconteça, pensar que os outros nos querem fazer mal ou são responsáveis por coisas negativas que nos acontecem ou acreditar em coisas que não têm fundamento.

Os nossos receios justificam-se quando temos boas evidências. Por exemplo, se temos problemas com a nossa família e já alguém nos ameaçou no passado, ter receio que alguém nos faça mal pode ser uma reacção racional a uma situação difícil. Por outro lado, os nossos receios são paranóides quando exagerados e quando se tornam tão irracionais que nada (nem mesmo evidências do seu contrário) nos convence de que aquilo que pensamos e sentimos não é real. Por exemplo, se temos uma família que nos ama e nos apoia, pensar que um membro da nossa família nos quer fazer mal pode ser considerado irracional e paranóide.

Quando temos pensamentos paranóides estamos sempre alerta, acreditamos que os outros estão constantemente a tentar enganar-nos ou prejudicar-nos. Duvidamos da lealdade dos outros e não lhes confiamos informação pessoal, com medo de que ela possa ser usada contra nós. Encontramos significados escondidos naquilo que nos dizem, temos uma atitude defensiva e reagimos com zanga quando nos sentimos atacados.

Podemos ter estes pensamentos constantemente ou apenas em situações stressantes. Eles podem causar-nos um grande mal-estar ou podemos ignorá-los. Podemos sentir grandes dúvidas relativamente aos nossos pensamentos, especialmente familiares, amigos ou profissionais de saúde nos dizem que os nossos receios são paranóides.

Estes pensamentos têm um impacto significativo na nossa vida. Podemos sentir-nos ameaçados, aterrorizados, confusos, frustrados, zangados, isolados, exaustos de nos estarmos constantemente a preocupar. É frequente desconfiarmos de outras pessoas e organizações; alguns dos pensamentos paranóides mais graves envolvem acreditar que estamos a ser perseguidos. Pode ser difícil manter relações, concentrarmo-nos ou dormir. Podemos ter sintomas físicos de ansiedade ou ataques de pânico.

A tendência para os nossos receios serem paranóides é maior quando:

  • Mais ninguém partilha das nossas suspeitas.
  • Não existem evidências concretas para os nossos receios.
  • Existem evidências que contrariam as nossas suspeitas.
  • É improvável que sejamos o alvo de um ataque ou uma conspiração.
  • Apesar das garantias que as pessoas nos dão, nós continuamos a sentir-nos receosos.
  • As nossas suspeitas se baseiam em sentimentos e situações ambíguas.

Ter pensamentos paranóides pode fazer-nos sentir isolados e achar que os ouros não nos compreendem nem acreditam em nós. A longo prazo a paranóia pode conduzir ao desenvolvimento de outros problemas de Saúde Psicológica como a ansiedade e a depressão.

A paranóia não é uma doença, mas um sintoma de problemas de Saúde Psicológica, como a Esquizofrenia Paranóide ou a Perturbação Paranóide da Personalidade.

Existem tratamentos eficazes para a paranóia. É possível não voltar a ter pensamentos paranóides ou aprender a lidar com eles de forma a não gerarem sofrimento. Se reconhece estas características em si próprio ou em alguém e elas interferem com a sua vida, procure ajuda.

OLÁ,
EU SOU A ANA.
POSSO AJUDAR-TE?

Sou uma assistente virtual e posso
indicar-te informação e recursos úteis

OLÁ,
EU SOU A ANA,
POSSO AJUDAR-TE? FALA COMIGO