Perturbação Obsessivo-compulsiva

Este problema de Saúde Psicológica é caracterizado por pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos.

As obsessões correspondem a pensamentos indesejados e intrusivos, imagens, desejos ou dúvidas que nos vêm repetidamente à mente. Por exemplo, podemos ter pensamentos sobre ser contaminados/as por germes, ter medo de nos termos esquecido de fechar a porta ou desligado o gás. Os pensamentos obsessivos interrompem os nossos outros pensamentos e fazem-nos sentir muito ansiosos/as.

As compulsões são comportamentos repetitivos (rituais) que sentimos que temos de realizar em resposta às obsessões, sob pena de algo mau nos acontecer ou aos outros. Por exemplo, podemos sentir-nos compelidos/as a lavar as mãos, a verificar se a porta está fechada, a fazer as coisas numa determinada ordem, a repetir coisas um determinado número de vezes ou a repetir uma palavra ou frase para que nada aconteça a alguém que amamos.

O propósito das compulsões é tentar diminuir a ansiedade causada pelos pensamentos obsessivos. Mas muitas vezes o processo de repetição das compulsões também gera sofrimento e o alívio que sentimos é nulo ou muito pouco. Mesmo assim, os rituaispodem consumir muito do nosso tempo e interferir com a nossa vida – com a nossa capacidade de concentração, o nosso trabalho e relação com os outros. Muitas vezes, sentimos estranhos/as, diferentes dos outros ou com vergonha e acabamos por esconder os rituais da nossa família e amigos.

A perturbação obsessivo-compulsiva é bastante comum e pode surgir a qualquer momento da vida (embora surja, com maior frequência, no início da idade adulta). Em Portugal, cerca de 4% das pessoas sofrem de perturbação obsessivo-compulsiva.

Pode ser muito difícil falar sobre as nossas obsessões e compulsões, sobretudo se estiverem relacionadas com a história pessoal (por exemplo, eventos traumáticos), temas específicos (por exemplo, religião, sexo ou violência) ou algo que receamos que os outros possam não entender. Por isso, muitas pessoas demoram muito tempo a procurar ajuda e a perturbação evolui para uma condição crónica, provocando grande sofrimento e interferindo cada vez mais com o dia-a-dia. 

Existem estratégias e tratamentos eficazes para lidar com os pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos, impedindo quecoloquem em causa o bem-estar e a qualidade de vida.  A procura precoce de ajuda é essencial. Pode, sobretudo, ajudar a compreender as causas do problema, factor essencial para desenvolver estratégias para controlar os sintomas. Procure ajuda.

Outros Recursos:

OLÁ,
EU SOU A ANA.
POSSO AJUDAR-TE?

Sou uma assistente virtual e posso
indicar-te informação e recursos úteis

OLÁ,
EU SOU A ANA,
POSSO AJUDAR-TE? FALA COMIGO